CONTRAF BRASIL mobiliza agricultura familiar para o IV ENA

11/04/2018 - 17:38

O IV Encontro Nacional de Agroecologia acontecer√° entre os dias 31 de maio e 3 de junho em Belo Horizonte (MG)

A CONTRAF BRASIL, entidade que representa a Agricultura Familiar do país, mobiliza suas federações, sindicatos e associações para os encontros regionais e IV Encontro Nacional de Agroecologia, que acontecerá entre os dias 31 de maio e 3 de junho em Belo Horizonte (MG).

No Centro-Oeste, representando a agricultura familiar, participaram do encontro preparatório o coordenador da Fetraf Goiás, Antônio Pereira, mais conhecido por Caiapônia; Neide Mar, coordenadora de produção e habitação da Fetraf Goiás e Dair Inácio Oliveira, presidente do acampamento Asa Branca no município de Doverlândia – GO.

"Entre os desafios está o de combater o agronegócio que na prática ameaça os nossos princípios de produção de alimentos saudáveis e oprimir nossas comunidades de agricultura familiar. Nosso intensão é construir propostas e apresentar experiências agroecológicas que deram certo e foram capazes de recuperar o meio ambiente. O eixo da Contraf Brasil e Fetrafs é justamente este de produzir alimentos considerando a preservação e a segurança alimentar para o país", explica Caiapônia.

Entre os dias 04 a 06 de abril foram realizadas oficinas, trocas de experiências, compartilhamento de aprendizados, discussão dos efeitos das políticas públicas para a agricultura familiar e para os povos indígenas e povos e comunidades tradicionais e atividades com foco nas ações agroecológicas. O objetivo é de potencializar a atuação na rede de Organizações, Movimentos, Grupos e Núcleos de Agroecologia para a construção do IV ENA – Encontro Nacional de Agroecologia (ENA).

“A agroecologia melhora nossa vida. A saúde da população depende do desenvolvimento desse trabalho de agroecologia, que tira o uso dos agrotóxicos na produção dos nossos alimentos, ou seja, do que comemos no dia a dia”, avalia Neide.

O modelo de produção também está presente nos acampamentos da reforma agrária. “Já temos maracujá, mandioca, banana, tomate e queremos agora começar com a melancia. Os alimentos orgânicos são sem dúvida melhores em todos os aspectos. O modelo de produção preserva o meio ambiente, não se usa agrotóxicos e contribui com a saúde por meio da alimentação saudável, além da segurança alimentar do país ”, contou Dair.

ENA

O 4º Encontro Nacional de Agroecologia (ENA), acontece com o lema “Agroecologia e Democracia Unindo Campo e Cidade”. Segundo a organização, “a expectativa é que o ENA reúna duas mil pessoas de todos os estados do Brasil”. A realização do ENA em uma capital reafirma a necessidade de ampliar o diálogo e direção de novas conexões entre o campo e a cidade, fortalecer os encontros entre as diferentes culturas e dar visibilidade às experiências de agroecologia e de resistência ao grande capital.

A programação do encontro prevê a realização de uma série de atividades, como a feira de sabores e saberes, apresentações culturais, mostra de cinema e debates públicos com momentos internos de aprofundamento de temas mobilizadores, em diálogo com organizações parceiras.

Fonte: Ascom/Consea, com informações da Articulação Nacional de Agroecologia (ANA) / texto adaptado por Contraf Brasil